domingo, 9 de agosto de 2009

Desculpem o atraso

Tenho fama de atrasado. E não é de hoje. Mas, pouca gente sabe o começo dessa história. Vamos aos fatos:

Nasci atrasado. Alguns minutos, tudo bem, mas bastante roxo. Acredito que esse pequeno incidente não tenha deixado seqüelas maiores do que essa minha forte tendência à procrastinação. Palavra bonita que quer dizer: ato ou efeito de procrastinar, transferir para outro dia, deixar para depois, adiar, delongar, postergar. Não fiquei abobado, por exemplo, mas acho que tudo pode ser feito amanhã.

Claro que não foi somente um pequeno atraso de alguns minutos na hora do parto e uma cara roxa que me deram essa marcante característica. Meus pais contribuíram com essa busca pelo atraso constante.

Fomos os últimos do bairro a comprar um vídeo cassete, por exemplo. Além disso, me divertia com Atari enquanto todos os amigos se digladiavam por um controle e pelos últimos lançamentos de Master System ou Mega Drive.

Comprei uma bicicleta quando já tinha idade para ter carro. Aí, veio a era digital. E para quem já era atrasado no tempo em que a vida passava mais lenta, imagina o meu drama na eterna luta contra a procrastinação na era do nanossegundo. E-mail, Orkut, Youtube, blog e um tal de Twitter que descobri dia desses como funciona. Coisa diabólica!

Há tempos que ensaio esse blog. Primeiro, achei que deveria ter um tema. Depois, um sentido. Mais tarde, uma coisa à dizer. E quando vi que a coisa estava ficando muito papo-cabeça, filosofia barata, resolvi cadastrar um nome qualquer e mandar ver.

Amenidades Crônicas. Sempre achei lindo quando chegava em algum lugar e via duas pessoas conversando descompromissadamente. Perguntava qual era o papo e sempre tinha alguém para responder: “amenidades”. Achava aquilo lindo. Falavam do tempo, de futebol, da vida dos outros... tudo era amenidade.

Sempre pensei que um dia eu seria um cara tão sábio a ponto de conversar amenidades com alguém. Mas, quando percebi que a sabedoria também era uma coisa que ia se atrasar para chegar em mim, resolvi inventar minhas amenidades assim mesmo, meio que de qualquer jeito.

Então, está aí: Amenidades Crônicas.

Boa leitura!

8 comentários:

Roberto disse...

Diga lá rapaz!

Pelo menos nas reuniões da turma seu atraso vale a pena pela companhia. É por isso que todo mundo atura.
Por aqui, tenho certeza que a espera vai valer muito a pena também, pois a julgar pela estreia há muito por vir ainda.
Bem vindo à "blogosfera", um jeito de mudarmos mini-partículas do mundo.
Abraço e eu volto!

Flauto - upgrafix.com disse...

Olha lá! Lá vem ele de olhos apertados, atrasado, a nos procurar!
- Maykon! - gritamos.
Daí, apertando mais os olhos p'ra ouvir melhor, nos vê(?) e chega para o meio do segundo tempo... já contando com a prorrogação.

tiagozecolmeia disse...

Excelente. Se é preciso o atraso para termos textos tão belos assim, que seja. Vida longa ao Amenidades.

Átila Serdera disse...

Cara, só li até agora o começo e o fim do texto, mas parece bom. Você pretende cumprir esse prazo semanal?? Com atraso ou sem? Abraço, moleque.

rachel disse...

Que venham as amenidades...mesmo que tarde. Abraço

Rachel Orodeschi

Débora disse...

Tá certo que você costumeiramente exagera nos atrasos, mas eu também não tenho muita moral nesse quesito, e a criatura que estreou os comentários do Amenidades Crônicas sabe bem disso. Não tenho orgulho de tal fato, mas temos que nos aceitar como somos, né não?!
Eu também cheguei bem tarde à blogosfera (aliás, que nomezinho estranho!) e, depois de manter um ritmo de atualizações semanais, eis que ontem completei um mês de abandono ao coitado do Imagem Paginada, Letra Sustenida (eita, jabá!)... Mas é isso, o mais importante é o primeiro passo, registrar o tal do domínio na internet. Você acaba se forçando a produzir mais frequentemente, para manter seu cantinho virtual sempre em movimento.
Até que enfim você chegou a essas bandas. Tardou, mas não falhou: o primeiro post já dá uma boa amostra de que muita coisa bacana vem por aí.
Beijão

Caroline disse...

Vou deixar minha verdade relativa, que relatei ao referido autor do blog no msn, taí- pense bem... não é qualquer um que tem a cara de um personagem do Ziraldo. Você tem. E o texto (do blog) tem a sua cara. Logo o texto é bom, porque todos os personagens do Ziraldo são bons.
Bom, DEIXEI O MEU! (comentário)
Continue!
bjs Carol

Janaína disse...

Atrasado você? Imagina....
Nunca presenciei nenhum atraso seu.
Balela!

Tão pontual esse rapazote!

Ah, eu não vivo na esfera dos Blogs ... sei lá o nome. Humpf!